18 abril 2015
Diários
O absoluto da intuição racional também significa: o instantâneo. A ideia perfeitamente formada faltando-lhe apenas a sequência o que, tantas vezes, se vem a revelar fatal.
É pela acção insubstanciada que tais intuições racionais soçobram.

00:20 | 0 Comentários

17 abril 2015
S/ título


20:36 | 0 Comentários

S/ título


20:35 | 0 Comentários

S/ título


20:35 | 0 Comentários

S/ título


20:33 | 0 Comentários

S/ título


20:14 | 0 Comentários

S/ título


20:12 | 0 Comentários

S/ título


20:11 | 0 Comentários

S/ título


20:10 | 0 Comentários

S/ título


20:09 | 0 Comentários

S/ título


20:08 | 0 Comentários

S/ título


20:07 | 0 Comentários

S/ título


20:07 | 0 Comentários

S/ título


20:06 | 0 Comentários

14 abril 2015
Diários
A dimensão agónica da arte e do pensamento corresponde àquele quantum de violência que é próprio do humano. Mas aqui, como é evidente, subtilizado e intermediado por um ideário colaborativo. Se há combate este é, tantas vezes, recoberto pelo verniz da civilização que a sua natureza mortal - na modalidade da resistência ao olvido - é esquecida.

20:53 | 0 Comentários

13 abril 2015
S/ título


21:30 | 0 Comentários

S/ título


21:29 | 0 Comentários

S/ título


21:28 | 0 Comentários

S/ título


21:27 | 0 Comentários

S/ título


21:26 | 0 Comentários

S/ título


21:25 | 0 Comentários

S/ título


21:24 | 0 Comentários

09 abril 2015
Diários
A intuição racional é absoluta porque exclui a inteligência, a racionalidade sequencial dela. É, mesmo, antitética daquela, modalidade que contém a exigência da fulguração. O perigo, sempre presente, da sua insubstanciação.
01:00 | 0 Comentários

S/ título


00:42 | 0 Comentários

S/ título


00:41 | 0 Comentários

S/ título


00:28 | 0 Comentários

S/ título


00:28 | 0 Comentários

S/ título


00:27 | 0 Comentários

06 abril 2015
Diários

Não confundir a intuição racional com inteligência. Esta é algorítmica, excursiva, aquela é puramente daimónica.
Só pode almejar a felicidade quem vive pela inteligência. O intuitivo será sempre atormentado pelo excesso da intuição quando irrompe e também rasga ou, outras vezes, pela escassez dela.

20:12 | 0 Comentários

Auto-retrato


18:56 | 0 Comentários

S/ título


18:55 | 0 Comentários

S/ título


18:54 | 0 Comentários

S/ título


18:53 | 0 Comentários

S/ título

01:13 | 0 Comentários

Diários
A questão mais importante numa arte privada é que o seu cumprir-se diz, unicamente, respeito aos critérios internos ou interiores ao próprio labor artiferante.
01:11 | 0 Comentários

04 abril 2015
S/ título


00:50 | 0 Comentários

S/ título


00:47 | 0 Comentários

S/ título


00:46 | 0 Comentários

Nome: João Pereira de Matos Cidade: Lisboa
Curriculum Vital
escrevinhices@gmail.com

-----
Em Colaboração

Apenasblogue
As Partes do Todo
Big Ode [big oud]
Blogue das Artes
Callema
Minguante
grandePEQUENO (site)
grandePEQUENO (blog)
Rádio Zero
Revista Piolho

-----
E-books

Histórias Sem Tom Nem Som
The Tail Spin
Rgb
Prontuário Identitário
17 Propostas

-----
Blogues do Autor

Iluminarium
Blogalquímico
Diário Informal
Desenhos em Azul
X-Acto

-----
Outros Sítios do Autor

Twitter
Facebook
Youtube
Myspace (Música Sintética)
T.V. 2.0

-----
Atom Feed

---Feed (me Seymour!)---

-----
Escritos d'Agora

Escritos d'Antanho

-----
Blogues Amigos

A Arte da Fuga
Às duas por três...
Butterflies & Fairies
Indústrias Culturais
Micro-Leituras
Pátria Língua Portuguesa
Retroprojecção
Rua da Judiaria

-----
Outros Blogues

A Barriga de um Arquitecto
Anarca Constipado
A Natureza do Mal
Azeite&Azia
Blogotinha
Blogzira (ex-Vitriolica)
Cadernos de Daath
E Deus Criou a Mulher
Miniscente
Montag: by their covers
o café dos loucos
O Século Prodigioso
Rititi
Um Fernando Pessoa

-----
Sítios Interessantes

Projecto Vercial
Ciberdúvidas
Technorati
Público
Apenas Livros
Stat Counter
Diário Digital
Ubu Web
NotCot

-----
Ficha
Todos os textos, desenhos e ilustrações são originais do autor.
Captação fotográfica de Ana dos Reis Almeida.

Creative Commons License
blogue licenciado por uma Licença Creative Commons.